O câncer nos animais domésticos

O câncer nos animais domésticos

bigstock-sick-dog-33362393

Você sabia que os pets também têm câncer? Muitas pessoas acham que só as pessoas sofrem com essa doença. Para entender melhor sobre o câncer em animais, é importante primeiro que você conheça a definição de tumor.

O que é um tumor?
Tumor é quando há um aumento de volume em determinada região, ou seja, nem todo tumor é um câncer, mas todo câncer é um tumor. No caso do câncer ele é causado por uma multiplicação desordenada de células. É como se uma célula ficasse descontrolada e produzisse células novas também descontroladas e que se reproduzem muitas vezes, causando o câncer, ou seja, o câncer é um tumor maligno. O tumor maligno é enraizado e pode se espalhar por outros órgãos.

Provavelmente você já deve ter ouvido falar sobre tudo que dissemos até agora, ao se informar sobre o câncer em humanos. É praticamente a mesma coisa. Vale ressaltar que cães, gatos, vacas, porcos e qualquer outro animal pode ter câncer.

Por que meu animalzinho pode ter um câncer?
Há vários motivos que podem levar o bichinho a ter um tumor como questões ambientais, uso de anticoncepcionais, idade entre outros. O importante é que o tratamento deve começar o quanto antes para que o pet possa se recuperar e viver bem por muitos anos.

Para que isso seja possível, assim que o proprietário notar qualquer aumento de volume, seja nas pernas, mamas, pescoço ou outro lugar, deve levar ao médico veterinário para ser examinado. Muitas vezes, quando o tumor já está visível externamente é por que ele está grande internamente. Outras vezes, ele nem chega a ser visível fora do corpo do animal, apenas faz com que sinais clínicos apareçam. Nesse caso, o diagnóstico é mais complicado e será preciso fazer exames como ultrassom e raio X.

Os principais tipos de tumores
Tumores de mama, de pele e linfomas são os mais comuns entre gatos e cães. Seja qual for o tipo de tumor, ao chegar à clínica, o pet será examinado e o médico veterinário pedirá os exames necessários. Dentre eles podem estar o hemograma, ultrassom, raio X, punção e até biopsia.

Se você conhece algum animal que já teve um tumor, provavelmente foi o de mama. Ele é bastante comum, principalmente nos animais não castrados ou que são medicados com anticoncepcionais injetáveis ou orais. O ideal é que os animais sejam castrados novos. As fêmeas, de preferência, antes do primeiro cio, ou seja, antes de oito meses de idade. De acordo com as pesquisas, se essa castração for feita nesse período, a chance do pet ter câncer de mama cai muito.

Já o câncer de pele é mais comum em animais com mais de 8 anos de idade e que possuem pele clara. Os animais são afetados pelo sol e quando o dono não tem o cuidado de passar protetor solar no bichinho e deixá-lo exposto ao sol, ele pode vir a ter um tumor de pele.

Qual o tratamento?
O tratamento varia muito de acordo com o tipo de câncer, com a evolução dele, com a idade do animal e com suas condições de saúde. Nos de mama, por exemplo, a maioria das vezes a única solução é a cirurgia. Há outros que necessitam também de quimioterapia para acompanhar. A cura nem sempre é possível.

Deixe seu comentário

Nome*

Email* (Não será publicado)

Website